Mostrar mensagens com a etiqueta vídeo de Leiria. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta vídeo de Leiria. Mostrar todas as mensagens

2017/01/01

Poema de Carlos Pires com música de Pedro Jordão, Ilustração de Fílvio Capurso - ser

Tenho a honra e imenso prazer em integrar o Grupo de "Serões Literários das Cortes"desde há, já nem me lembro bem,  quantos anos, talvez mais de cinco.
Hoje, 1 de Janeiro de 2017, lembrei-me de  partilhar este trabalho (no âmbito das ações deste grupo) ensaios literários e/ou artísticos, que lá vamos expondo e conversando.
Estou, neste preciso momento, com pouco tempo para grandes explanações. Vou ser breve. Mas o caso é que é agora ou perco a ocasião.
Comecemos, então, por este trabalho que a seguir se apresenta.


ser


ser generoso apesar
do que foge e alcança

dar à gratidão um nome
que não baste para nomear
o quanto

saber que há janelas
que abrem para o que nunca
entenderás

e tão humilde
vendo a tua sombra envelhecer
diante da luz e das coisas
que te trazem
agora

estrelas água caminhos
sinais e animais do ar

e agora
abre os braços
e sossega

Poema de Carlos Lopes Pires

Ilustração de Fulvio Capurso
Música de Pedro Jordão

-

Este trabalho recebi-o por e-mail, ao qual respondi:



uma ânsia infinita de querer ser
não sei se conseguirei isso algum dia
só sei que é difícil ser

que 2017 que aí vem
vai ser?

as-nunes


2016/10/29

Dentro de ti, ó Leiria ou Balada do Encantamento


Este vídeo foi inspirado e complementa a minha crónica que irá ser publicada no Diário de Leiria, na próxima segunda feira, dia 31 de Outubro de 2016.

Fica aqui, desde já, o espaço para a sua reprodução... 
Ei-la:

-
Em modo DISPERSO… (XXIII)

Dentro de ti, ó Leiria.
Balada do Encantamento
Letra e música de D. José Paes de Almeida e Silva

Falemos, agora, de duas das canções/baladas que mais simbolizam a cidade de Leiria, a sua mística histórica, poética e artística em geral, e as suas gentes. Na minha opinião, claro está, aquelas que mais contribuem para o badalar de Leiria pela via da música, entretanto já muito divulgadas através de vídeos, serenatas de estudantes e pelo Orfeão de Leiria, são:
A “Canção do Porvir” e “Dentro de ti, ó Leiria”.
Vou deixar para uma nova crónica, a história de “A Canção do Porvir”. Não é porque para com ela tenha menos deferência, muito pelo contrário, mas porque hoje me apetece ´ouvir` a “Balada do Encantamento”.  Com certeza  que me acompanharão neste gosto.
Quem não conhece a sua letra? Pelo sim pelo não aqui fica:

Dentro de ti, ó Leiria
Vive uma moira encantada,
Não sabes, é minha amada
E tem por nome Maria.

Leiria foste um ladrão
Leiria do rio Lis.
Roubaste-me o coração
E, vê lá tu, sou feliz.

É sempre com incontida emoção que ouço esta belíssima canção, que me habituei a saborear, encantado, desde que cheguei a Leiria em 1966. Esta balada cantada ao modo do fado de Coimbra acabou por se transformar num meio de consagração da histórica - sempre bela e romântica - cidade de Leiria, que aprendi a amar como se a minha terra natal fosse.
Conheço duas interpretações vocais desta balada, as duas excelentes: Uma, de Janita Salomé e outra  do mesmo nível, de Manuel Branquinho, esta gravada há 41 anos. Uma e outra versão podem ser ouvidas com facilidade por consulta direta na internet através do motor de busca da Google.

“Dentro de ti, ó Leiria” é uma das canções/baladas mais belas, significativas e simbolicamente ligadas a Leiria. A sua letra e música enraizaram-se rapidamente nas emoções de ser Leiriense e, mais tarde, adotada como balada indicativo das serenatas da Sé de Leiria vividas pelos estudantes Universitários da cidade do Lis… e do seu Castelo… e de Rodrigues Lobo… e do Eça, que por aí anda no Largo da Sé… e pelo lídimo poeta Leiriense Acácio de Paiva, que nasceu na casa de azulejos azuis “viúva lamego” em 1863… e onde se iniciou a família dos Teles e Paiva, … etc. Foram muitas estas serenatas, no mês de Maio de cada ano, que eu ouvi enquanto trabalhava no meu escritório no primeiro andar da casa de família, a “Pharmácia Paiva”, naquele Largo. Foram muitos anos. Até que, por volta do ano 2008, nos mudámos para a Barreira. Aquela balada, porém, ficou-me nos ouvidos. Talvez para sempre…

O seu autor, 1899-1968, D. José Paes de Almeida e Silva, nasceu em Vagos, mas a sua ligação a Leiria ficou indelevelmente gravada no som da letra e da música desta extraordinária balada/fado.  Foi eleito pela Academia de Coimbra como o seu filho dileto na música através de Baladas, Canções, Operetas, Música Coral, Música Instrumental, que acabou por ser tocada na sua Tuna, da qual chegou a ser Regente entre 1929 e 1931.  Em simultâneo, sempre que necessário, foi o Maestro do Orfeão Académico de Coimbra, o que lhe proporcionou excelentes relações de amizade com os nomes mais sonantes do fado e da guitarra Coimbrã. O período de 1920-1930 passou para a história como a “Década de oiro da academia de Coimbra” (Dr. Afonso de Sousa, que chegou a tocar a música de D. José à guitarra com Artur Paredes, enquanto estudante nesta cidade).
Em 1929 a Tuna Académica de Coimbra deslocou-se a Leiria onde foi acolhida em apoteose. Nesta altura, D. José Paes de Almeida e Silva, com a ajuda preciosa do Dr. Américo Cortez Pinto (outro vulto Leiriense a não deixar que se perca nas brumas da memória) conheceu D. Maria Isabel Sousa Charters de Azevedo, daqui natural, e com ela acabou por casar.
Foi esta ligação sentimental que o inspirou a escrever e musicar “Dentro de ti, ó Leiria”, que ficaria celebrizada para todo o sempre como a “Balada do Encantamento” de Leiria.
Esta balada foi tornada pública no dia seguinte ao da sua chegada a Leiria pela voz de encantar do célebre Edmundo Bettencourt, um dos seus amigos de boémia e tertúlia Coimbrã. Logo a seguir voltou a ser cantada nos Paços do Concelho de Leiria por um cantor conhecido de nome  Vicente. E assim Leiria do rio Lis se rendeu aos encantos da moura encantada que dentro dela vivia... e continuará a viver. Ad eternun
D. José acabou, mais tarde, por alturas de 1943, por se mudar para Leiria, onde a família Charters de Azevedo tinha casa e propriedades nas Cortes.
A sua paixão pela Música manteve-se inalterada e chegou a ser Maestro do Orfeão de Leiria, que regeu, pela primeira vez em 7 de dezembro de 1948, no Teatro da cidade, o magnífico e infamemente já demolido, Teatro D. Maria Pia.
Ler mais no livro “D. José Paes de Almeida e Silva – Vida e Obra Musical” de Adélio Amaro, ed. Folheto, 2015, com o apoio de Teatro Nacional de São Carlos e Fundação Caixa Agrícola de Leiria.

Até à próxima.

2015/12/02

"Abraçar uma Estrela" - Apresentação do livro de poemas de Adélio Amaro



Apresentação feita em 30 de Novembro de 2015
Fundação da Caixa de Crédito Agrícola de Leiria







Um momento a recordar...

Uma oportunidade única proporcionada por Adélio Amaro, na excecional sessão cultural que nos proporcionou quando da apresentação do seu livro de poemas "Agarrar uma Estrela" no passado domingo, 30/11/2015, na Fundação Caixa Agrícola de Leiria.

Por acaso (quer dizer, raramente saio de casa sem uma máquina fotográfica/vídeo) consegui fazer esta gravação com a minha Nikon D3200 com filtro UV. Estou espantado com a quantidade de visualizações já contabilizadas em 2 dias. Claro que o facto de ter sido publicado no FB do Adélio lhe está a dar muita visibilidade, o que, aliado ao facto de se tratar de ver e ouvir o Carlos Moisés da Quinta do Bill, acompanhado ao piano por Inês João, seria inevitável. Estou a tratar de preparar uma montagem especial para publicar no YouTube, na minha conta. Justifica-se plenamente. 


2014/06/21

ABRIL, 40 ANOS DEPOIS -Grupo Cénico 60+ do IPL



O Grupo Cénico 60+ integra uma área de atividades extra-curriculares do Instituto Politécnico de Leiria, que iniciou funções precisamente no 2º semestre do ano letivo que agora está no seu termo.
Este Grupo teve como mentor e grande impulsionador o Mário Marques da Cruz.
-
nota importante:

Esta peça foi integralmente (com pequenos cortes para mudança de "bobine") gravada em vídeo.
Está disponível para todos que o queiram, em suporte à escolha do "cliente", a pedido através do mail nunes.geral@gmail.com ou tm 917579460.
O vídeo, aqui apresentado, é uma amostra do que foi este excelente trabalho dos nossos seniores. 
O realizador pede, desde já, perdão por quaisquer anomalias técnicas que possam ser detetadas, por três razões principais:
1- Foi o 1º vídeo de um espetáculo completo feito utilizando tripé e câmara ainda em fase exploratória das suas totais capacidades; 
2- Por esquecimento (a idade não perdoa... também já cá cantam 60+) não se preparou com a devida antecedência, um guião para este trabalho;
3- O operador de câmara foi, também e simultaneamente, produtor e realizador. 

2013/11/18

ZÉ OLIVEIRA, Bordalo e Zé Povinho


Este vídeo está complementado com uma reportagem fotográfica e outras imagens (cartoons, reproduções...) na minha conta do Facebook.
Seguindo este link aqui  e aqui e aqui.

No passado sábado lá estivemos, na sede do Rancho Folclórico da Região de Leiria  e eu não podia deixar de passar este evento em claro. Aqui fica a minha visão do modo como o meu amigo "Zé Oliveira", de várias lides, nos blogues, no Elos Clube de Leiria (entretanto, inativo...), cartoonista de créditos firmados em jornais, revistas, nas Academias, particularmente na de Coimbra.

Mais se pode ler seguindo estas indicações, entre outras:


    (Uma entrevista a Zé Oliveira. Está cá o essencial da carreira e da maneira de estar de José Oliveira, Cartoonista)

Obrigado, Zé Oliveira, pela excelente oportunidade que nos proporcionou para o ficarmos a conhecer melhor. O seu trabalho fala por si. Aqui mais à mão, tivemos ocasião de o apreciar semanalmente, durante vários anos, no semanário "Região de Leiria".

Também tenho algumas referências à sua atividade nomeadamente neste link deste mesmo blogue aqui .

E muito mais haveria para dizer sobre Zé Oliveira, enquanto cartoonista, e um grande lutador pelas causas sociais e humanista...
-
Nesta data foi-me oferecido pela Junta de Leiria, Pousos, Barreira, Cortes, o livro LEIRIcaturas - Caricaturistas Leirienses, ed. de 2000, onde se dá relevo ao trabalho de ZÉ OLIVEIRA.
Como se pode ver seguindo este link aqui.
-
O atual Presidente da Câmara Municipal era caricaturado, ao tempo da edição daquele livro, como segue:

- e tantas outras referências que podiam para aqui ser chamadas, se houvesse espaço e tempo ...
@as-nunes

2013/03/23

Salve-se a alma da cidade de Leiria



Carlos do Carmo - Sou o ferro velho

O Largo da Sé, em Leiria, é um dos icons da zona histórica de Leiria. Uma cidade só se conseguirá impor no contexto turístico e económico se os seus administradores não permitirem que ela perca a sua alma. E isso só será possível com um forte impulso na recuperação da sua zona histórica, a área da cidade que a distingue de todas as outras. Já vai sendo tempo de todos os que querem voltar a ter uma cidade bem definida, com as suas caraterísticas próprias, pugnem pela recuperação dos edifícios, ruas, praças, jardins, árvores e comércio tradicional, única forma de manter a identidade Leiriense.

Leiria transferiu-se, de armas e bagagens, para um campo de concentração a que chamamos "Leiria Shopping".
Vamos aceitar, sem contestação, a degradação a que Leiria, como cidade histórica, está a chegar?

É que, entretanto, começamos a ver sinais preocupantes de que não há interesse em preservar a identidade de Leiria. 
Em vez de uma Praça na zona histórica, constrói-se um "equipamento" com linhas modernaças mas completamente fora da traça original da alma da cidade. Árvores que ainda se podiam e deviam manter em pé, abatem-se às dezenas, decapitando pontos de referência e de vida.

O ferro velho.
É isto que queremos para o Centro Histórico de Leiria?!

2013/03/06

Portugal não é uma jangada de pedra

Os portugueses de Quinhentos lançaram-se destemidamente em viagens transatlânticas rumo ao desconhecido, usando caravelas, quais meras cascas de noz, afrontando tormentas e mitos de toda a natureza. E venceram, dando ao mundo novos mundos, contribuindo decisivamente para a globalização que agora vivemos...

Afinal, pensando um pouco, somos "A Primeira Aldeia Global "...

2012/12/27

(7) Divulga Blogs – Google+ (E a vida continua...)


(7) Divulga Blogs – Google+

TANTAS REDES SOCIAIS...
Tão pouco Tempo!...

Credo!
Que confusão!
O Mundo anda louco, à nora, talvez!...

E como a vida pode ser singela...é só fruir o nosso habitat



Snrs. da GOOGLE!
Não me tirem o meu blogue!
O Dispersamente.
Prometo 
que me porto bem
que não digo mal de vcs
que também participo
na GIGANTESCA teia
que estão a criar
o GOOGLE+

Mas, por favor,
Não acabem com o Blogger!...

@as.nunes

2012/12/18

2012/05/22

Slide show ... em Lourais


Música: Devil Woman - Hugo Montenegro
Boa tarde, está um dia fabuloso, visto daqui, sentado à secretária, através da janela, na direção de nascente, a meio da tarde, o vale do Lis e a Sra. do Monte a acenarem-me...

Ainda tenho que penar mais uns dias, como um pássaro na gaiola!...
@as-nunes 

2012/01/20

Portugal, em dias de apreensão...de nostalgia...de luta...


Dias consecutivos -   Sérgio Godinho (álbum "Mútuo Consentimento")
Usar Écran inteiro para melhor apreciar
-
É urgente o amor.
É urgente um barco no mar.


É urgente destruir certas palavras,
ódio, solidão e crueldade,
alguns lamentos,
muitas espadas.


É urgente inventar alegria,
multiplicar os beijos, as searas,
é urgente descobrir rosas e rios
e manhãs claras.


Cai o silêncio nos ombros e a luz
impura, até doer.
É urgente o amor, é urgente
permanecer.


Eugénio de Andrade


@asnunes
Andradendrade

2011/12/30

Bom Ano de 2012, mais que o melhor possível, se possível!...



 Venho desejar a todos os navegantes da WWB que aqui aportem, 
um Bom Ano de 2012, 
o melhor ano possível, 
digo, melhor que o melhor possível...


Letra: Sérgio Godinho 
MúsicaFrancisca Cortesão
"Mútuo Consentimento" 

  • A minha filha Inês (também devem andar por aqui os ouvidos dos meus netos, a Mafalda e o Guilherme) ofereceu-me o CD no Natal.
---
Também anda aos pinotes pela Internet:


Desculpem lá o gesto, mas há alturas em que uma pessoa não consegue resistir...
@asnunes  

2011/12/07

Barreira - Leiria: 4º Aniversário do Coral AdesbaChorus



Esta montagem-vídeo pretende transmitir uma ideia da admiração que nutro pelo trabalho desenvolvido pela valência cultural da ADESBA - Associação para o Desenvolvimento e Bem-Estar Social da Barreira.
No passado Domingo, este grupo coral, comemorou o seu 4º aniversário, promovendo um encontro de coros na Barreira, local da sua sede. 
Esses grupos corais foram, para além do aniversariante:
- Coral de S. Pedro, Gouveia
- Coro Municipal Carlos Seixas, Coimbra


As minhas ligações à Adesba já vêem de longe, dos tempos em que tomei um contacto mais íntimo com as questões desta freguesia, através da minha participação na sua gestão autárquica entre 2001 e 2009, quer na sua Junta quer na Assembleia de Freguesia. Foram momentos inolvidáveis.
De tal maneira passei a viver esta freguesia, que também é a minha  desde 1992, que acabei por escrever e publicar um ensaio monográfico sobre esta terra e as suas gentes, edição de 2005, sob o título "Caminhos Entrelaçados - na freguesia da Barreira". 


A participação nestes eventos é sempre uma boa oportunidade para rever amigos, dos quais, devido às contingências da vida - não tão poucas vezes como isso - andamos afastados, cada um a tratar de orientar a sua vida, o melhor que pode e sabe.


Que cada um de nós faça a sua parte, e a sociedade funciona melhor, de certeza absoluta.
Não podemos é cruzar os braços...


Muitos parabéns, coralistas, maestro Jorge Narciso e direcção da Adesba e AdesbaChorus, por este 4º Aniversário. 


A vossa dedicação está a dar os seus frutos. 
@asnunes